Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Mi-La-G-Re’ Category

tunel1

MI-La-G-Re

Sim, hoje eu espero um milagre…
Que nasça do suor que secou em meu rosto.
Sim, hoje eu espero na cidade…
Que seja fruto do que planto em meu horto.

Mas, a realidade insiste em me esmurrar.
Em arrancar todos os meus dentes.
Mas, a realidade persiste em mergulhar.
O que eu um dia receava de todo coração ser presente.

O tempo quando passa parece arame,
Me da um abraço farpado e me faz sangrar lentamente.
O vento enquanto passa parece madame,
Me faz querer sentir cada curva, ao longe bem caliente.

Me convém ser platônico pelos ematomas reais,
Que mal enxergo que o que parece perto, é distante.
Me provém ser errôneo, e ser equivocado demais,
Que bem enxergo meu limite de perto, e não é tão grande.

Quantos planos A’s falharão, e B´s improvisarei?
Para serem A’s de novo até chegarem a letra Z.
Quantas batalhas haverão, e vitórias cantarei?
Para não ser eu que rirei por último outra vez.

Oh, hoje rezo para todos os Deuses, invoco shamans e vodoos.
Cansei de nadar um pouco, será que as ondas me levarão às rochas?
Oh, hoje prezo por mim serei tutsi e hutu.
Cansei de correr um pouco, será que os caçadores me acenderão às tochas?

Nesta sala de pacientes onde eles pegam suas senhas,
Esperança não acompanha o destino, destes que de sonho vivem ao ouvir seus nomes.
Nesta sala de espera onde eu pego minha senha,
Paz não acompanha o destino, destes que de sonho estavam com fome.

A esperança pode até morrer por última,
No final, na metade ou seu terço.
Mas, quão desgraçado devo ficar até depender apenas dela,
E não de mim mesmo?

Sim, hoje eu só espero um milagre…

09/02/08
02:57 am

Por: Paulo Ubermensch
4 notas…

Read Full Post »