Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘É Chegada a Hora de Revolucionar!!!’ Category

horizonte

É Chegada a Hora de Revolucionar!!!

Às vezes levantamos cicatrizes dos escombros.
O vento sopra errante à direções que realmente desconheço.
Minha vela está içada, a tempos a âncora foi puxada.
O sopro do destino, a variável infalível.
Por tempos, forte, por vezes, fraca.
A maré incessantemente se move com sua ilimitada vivacidade.
O céu claro de tantas estrelas, simbolizam algo em comum para todos.
E porque não para mim também?
Sim, fofa areia sob meus pés descalços.
Me adiantei a popa de minha vida.
Ao moinho que se move apenas com águas novas.
E porque não alcançar a velocidade da LUZ!?
Si, yo soy Captain, y yo tengo un pouco de gracia.
O timão está sob meu domínio.
Para a conquista dos sete mares.
Sem traumas de tic-tac’s de crocodilos.
A contagem pouco me importa!
O papagaio da minha mente, seria ele a minha consciencia apenas?
Companheiro fiel, do zoológico da vida, para o velho lobo do mar.
Que ainda pula ondas do oceano, mergulha a cabeça sob as águas
E com os cabelos molhados, pode contemplar a felicidade,
A liberdade de controlar seu próprio destino,
Que apartir desse ponto, em que se tomou conta do viver,
Do tato, olfato, paladar…
Da visão além de qualquer teléscópio.
E que se enjoará de tanto gritar:
– Terra à vista!!!!
Tem total razão dos intervalos.
Entre o começo e o fim.
Mas que disposição é essa, que obstinadamente deseja renascer sempre
após os três dias, Admiravelmente Novo!?
Oh glória desse fabuloso destino!
Tempestades?! Por que sois tão tímidos?
Pois com apenas o entoar do brando de cada voz,
Nenhum obstáculo será tropeço.
Sem marcas ou cicatrizes,
O sangue derramado já não corre por mais nenhuma veia.
E a braçadas fortes nesse oitavo mar de meu ser,
Posso até respirar fundo, fechar os olhos e fazer meu pedido.
Assoprar as velas…
E abrir todo o Mar Vermelho.
Abrir todo uma nova passagem.
E não deixar por nada escapar por entre os dedos.
O ácido base, sim, base da neutralidade.
No paraíso a apenas 100 passos.
Equilíbrio fundamental da poesia.
Escrita na casca de árvores com corações.
E foi preciso mais que todas as florestas,
e folhas secas pisadas ao não desistir,
ao objeto de paz.
Arrancar um sorriso de um anjo.
No delicado silêncio de um diálogo.
No calor de uma lágrima, simplesmente milagrosa.
No fim da esperança.
O bouquet de rosas cobre os oceanos,
Paisagem tímida bela. Sob o mais alto mastro de embarcação S.S. Vida.
Que com sua sombra mostra a veterana capacidade de… conseguir
Por incontáveis vezes, cair e levantar.
Em meio a destroços de sua própria nau,
Nessa nova praia deconhecida.
Ainda com acima de qualquer coisa segue a sina.
Mas caminho sobre as águas, e dentro de uma garrafa eu vos deixo o recado.
“Nunca desistam!”

Diretamente da Terra do Nunca

01/01/06

Por: Paulo Ubermensch

Read Full Post »